Que maravilha Mendel…

1 abr

Oi gente, td bem?

Finalmente chegou a sexta né? Eita semana difícil…..rsrs. Bom, mas hj meu dia foi demais, o fofo do Marquinho me deu um montão de flores colhidas lá no jardim da escola. A Paty e as meninas ficaram me zoando, tb já viu né? Elas enfiaram na cabeça que eu e o Marquinho estamos de rolinho…hahaha. Era só o que faltava, eu dar bola pra um doido feito ele….rs. Mas voltando ao assunto, as flores que ele me deu são como essas aí da foto. Só que uma coisa me deixou curiosa, eram várias flores identicas só que de várias cores!Algumas vermelhas, outras brancas e outras cor-de-rosa, fiquei pensando pq é que isso acontece e o Marquinho finalmente teve uma ótima ideia: perguntar pro Miguel, nosso professor de biologia. Ai o Miguel veio me falar de uma tal de co-dominância e eu não entendi absolutamente nada….haha.

Aí a coisa complicou, ele começou a falar de um tal de Mendel que desvendou, como ele disse, a lógica da hereditariedade. Bom, isso é um papo de genética e a gente tá só no comecinho dessa matéria, mas já comecei a perceber que o tal do Mendel era bem inteligente mesmo. Ah, o Miguel falou que além de cientista ele era padre! Curioso né? Bem, mas como eu fico muitro curiosa com essas coisas eu achei uma foto dele pra colocar aqui:

depois desse papo todo eu fiquei pirando com o Mendl, oumelhor, pensando sobre os experimentos dele. Era um negócio de ervilha verde pra cá, ervilha amarela pra lá, acho que ele tb devia ser cozinheiro..rsrs. Agora falando sério, ele ficou misturando as ervilhas fazendo um montão de experimentos até achar uma lógica nessa coisa de um indivíduo passar algumas características para os seus descendentes e não passar outras. Bom, ainda preciso pesquisar melhor td isso pra poder explicar aqui. Ele falou umas coisas de alelos, homólogos e eu ainda não entendi muito bem. Mas como eu sou legal e hj é sexta (me achando né?….hahaha) achei um vídeo massa que conta a história do Mendel. Ainda não vi inteiro mas vou fazer isso no findi!

Bom gente, agora que coloquei o vídeo, vcs poderiam me ajudar a compreender melhor essa história né? Que tal todo mundo assistir e depois colocar uns comentários aqui? Vou adorar :)))

Bjokas

Anúncios

4 Respostas to “Que maravilha Mendel…”

  1. PA abril 3, 2011 às 9:55 am #

    Laura

    Fiquei curioso para saber como o nosso amigo Pedrinho da Genética podia explicar melhor sobre esse método científico aplicado as ervilhas. pois não foi uma dedução científica mas uma indução científica, como me ensinou meu professor de filosofia, o tio Junior, que é uma coisa que você de um certo jeito “chuta” uma lei geral a partir de seus resultados. É através da porcentagem das ervilhas enrrugadas que esse tal de Mendel faz virar uma lei geral da herança. Eu acho muito louco essa coisa de só aparecer ervilha redondinha na segunda vez que se cruzam as enrrugadinhas com as redondinhas. Sacou Laurinha?

    PA

  2. Laura abril 5, 2011 às 10:26 pm #

    Oi PA!!! Vou responder cada um dos seus comentários com calma – afinal de contas você me faz estudar e viajar mais que o Prof. Miguel (rs) – mas desde já digo que se há ordem no caos eu quero descobrir como!!! Puxa, os últimos dias foram osso, um monte de provas, e depois ainda tive de engessar o braço! E aí deixei meus “fiéis leitores” abandonados por aqui!!!
    Mas falando do Mendel e do Pedrinho – que por sinal prometeu pra Tia Clau que ia passar por aqui e até agora nada! Mas então… Fiquei pirando na história da dedução e indução, estranhei você falar em chute – minha tia ia morrer se eu falasse que ela chuta as coisas! – mas fui estudar e descobri que é um pouco chute mesmo… Na indução – pelo que eu entendi – a gente observa uma mesma coisa algumas vezes e aí conclui que aquela coisa vai ser verdade sempre. Mas um dia alguém pode descobrir que não é bem assim, não é? Assim, teoricamente a dedução é mais confiável, sei lá, definitiva de algum jeito, mas eu li também que da dedução não se descobre exatamente algo novo, a gente só organiza aquilo que já sabe… E você não sabe do melhor: você sabia que tem a abdução também? Parece coisa de ET, mas não é! É o raciocínio que utiliza a melhor explicação (não entendi muito mais do que isso…).
    Mas voltando pro Pedrinho… Uma vez fiz uma pergunta pra Paty – não a minha amiga, a mulher do Pedrinho – que ainda hoje eu acho bem interessante. Todo mundo fala de sequenciamento genético, que o computador identifica os genes no sangue e tals, mas eu queria saber como é que o sangue entra no computador, e disso ninguém fala muito… Sacou Paulinho (rs)? Se não entender a gente conversa mais tá, porque esta resposta já tá GIGANTE e o meu braço bom já tá doendo!
    Beijinho!

  3. PA abril 7, 2011 às 6:02 am #

    Lau

    Fiquei encucado com essa história de como a ciência e os cientistas chegam às LEIS CIENTÌFICAS. Essa coisa de dedução, indução e abdução, que parece mais coisa de ET mesmo. Fui perguntar pro meu professor de filosofia, o Junior. Parece que ele está fazendo o mestrado em Filosofia da Ciência ou estudando uma tal de epistmologia ( palavra difícil,não?) na Unicamp. Eu acho que entendi que tem pesquisadores que ficam nos seus laboratórios tentando obter resultados a partir de experiências que eles bolam. O Jr. me falou que a gente deve estudar a história dos pensadores. Ele disse que há um tipo de evolução ou uma tal de mudança de PARADÌGMA no jeito de pesquisar dos cientístas. Uma coisa que achei interessante que ele falou foi sobre um tal de Kant que disse que os pesquisadores tem que ir à Natureza não como um aluno, quem nós assim, mas como um professor que faz perguntas para responder com a experiência que ele bola. Então o pesquisador acredita numa teoria e sua pesquisa é verificar se a teoria vale na prática (as explicações dos resultados da experiência são DEDUZIDAS da teoria, entendeu?). Mas as LEIS dependem da INDUÇÃO. Diz o Jr, que o Einstem chegou na teoria da relatividade só “viajando na maionese”, a partir de admitir que a velocidade da luz é muito alta mas é finita. Perto de 1900 alguém ( vou procurar no Google, quem!!!!!) tinha provado experimentalmente que a velocidade da luz era uma constante e o Eisntem, só através do pensamento INDUTIVO. chegou nas LEIS da sua teoria. Sabe, E=mc2 e outras coisas mais.Por isso ele é um gênio, muito inteligente e muito doidão, mesmo.
    Bom, o Jr. não quis me falar sobre essa coisa de Ordem no Caos e pediu pra eu voltar mais tarde que ele tinha que ir pra Campinas.
    A ABDUÇÃO o Jr não explicou. Acho que ele tava com medo de, em vez de pegar o ônibus, ir pra Campinas abducado. eheheheh…

    PA

Trackbacks/Pingbacks

  1. O futuro « viagensdalaura - maio 5, 2011

    […] qualquer um pode ser, é só imaginar! Foi assim que fui pra Grécia Antiga, conhecia o Darwin, o Mendel, o Lavoisier! Foi imaginando o futuro exatamente como fazia o Júlio Verne e fazendo perguntas como […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: