Professor César e as partículas

25 abr

Oi pessoal, td bem? Como foram de feriado? O meu foi ótimo, apesar do braço AINDA engessado e da baita preguiça que dá ter que acordar cedo….rs.

Preciso contar uma coisa muito massa pra vcs, outro dia eu estava ouvindo um notíciário no rádio e o locutor estava falando do César Lattes. Bom, olha só uma foto que achei de quando ele ainda era bem novo:

O Locutor disse que o Lattes descobriu uma partícula muito importantante e que ganhou o Nobel mas não levou!!!!!! Achei esse papo todo muito esquisito e resolvi pesquisar um pouco mais. Descobri que a tal partícula que ele descobriu se chama Meson Pi. Só tem um probleminha nesse negócio todo, eu precisei descobrir muito mais sobre as partículas para compreender pq essa era tão importante….rsrs. Então vamos lá:

A história toda começa lá na Grécia, com um pensador chamado Demócrito. Ele defendia a teoria atomista que previa que tudo era composto por átomos, ou seja, as menores partes da matéria. O próprio nome “átomo” significa indivisível. Mas hoje em dia sabemos que os àtomos são divisíveis sim!

Foi um cientista chamado Thompson que em 1897 conseguiu de certa forma quebrar um átomo pela primeira vez e, a partir disso, observar um elétron, ou seja, ele conseguiu descobrir a existência de partículas ainda menores que o átomo, o que chamamos hoje de partículas elementares. Depois disso vocês já sabem, tem todo aquele negócio de prótons, neutrons e elétrons. Mas  nesse negócio de partículas elementares não é tão fácil quanto parece….rs. Eu só fui entender melhor depois de assistir alguns vídeos que vou postar, mas antes vou tentar explicar um pouco sobre a importância do Méson Pi nessa história toda.

Bom, pra gente entender, vamos falar sobre alguns átomos que a gente conhece. O do Hidrogênio, por exemplo, tem um próton no núcleo e só um elétron circulando ao seu redor. Já o do Carbono, por exemplo, tem vários prótons e neutrons no núcleo e vários elétrons na eletrosfera. Agora vem a pergunta chave: Se eles tem tantos prótons no núcleo, por que é que eles não se repelem, afinal eles tem a mesma carga e além disso, os neutrons que estão lá não tem carga nenhuma?

Então um Físico chamado Yukawa propôs que deveria existir uma partícula ainda desconhecida e que poderia ser emitida pelos prótons e pelos nêutrons. Ela serviria como uma espécie de “mediadora de conflitos”, ou melhor de cargas, fazendo com que os prótons ali do núcleo se comportassem direitinho….rsrs. A grande questão´é que essa partícula, ou seja, o Méson, só existia na teoria! Além disso, os cientístas sabiam que se o Méson existisse realmente ele teria uma vida muito curta fora do núcleo, desaparecendo em um bilionésimo de segundo.

 Até que alguns pesquisadores começaram a achar indícios dessas matérias nos raios cósmicos. Então o Lattes e outros cientistas como o Powell e o Ochiani, inventaram  uma loucura de usar chapas fotográficas para registrar essas partículas se deslocando. Pelo rastro que elas deixavam nas fotos eles achavam que seria possível calcular a sua massa e a sua energia. Só que eles não conseguiam registros muito precisos.

Então o Lattes resolveu caçar essas partículas em um lugar mais apropriado. Pegou suas tralhas e equipamentos e foi para o Monte Chacaltaya na Bolívia. Lá, devido a altitude do Andes, a incidência dos raios cósmicos é maior. E não deu outra, o Lattes conseguiu registrar o Méson nas chapas fotográficas!

Nas fotografias era possível enxergar os rastros do Méson Pi se desintegrando à medida que aumentava sua interação com o núcleo atômico. :))

Olha só as chapas tiradas pelo Lattes:

Vocês perceberam que tem um tipo de risco, meio tracejado, bem no centro da figura e que corre ao longo dela todinha? Bem, esse é o rastro do Méson Pi. Legal né gente? Bom, mas agora vou postar o vídeo que prometi. Ele é de uma série baseada no livro “O discreto charme da partículas elementares” da Profa. Maria Cristina Abdalla. Esse é o primeiro episódio, os outros 4 tb estão disponíveis no Youtube, vocês acham por lá!

Dá uma olhada:

Bom gente, espero que vocês tenham gostado do post de hj e do vídeo. Não sei pq o garoto que fez a série me lembra o Marquinho….hahahaha. Bom, amanhã falo um pouco mais sobre o que eu descobri do César Lattes pra vcs. BJKS :)))

Anúncios

Uma resposta to “Professor César e as partículas”

  1. Djones agosto 16, 2014 às 5:15 pm #

    Occhialini é o nome correto, amigo! Muito legal sua pesquisa, to escrevendo um livro sobre Lattes. Quando tiver pronto te mando um exemplar. Abraço!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: